Saiba mais sobre o cálculo urinário

  Dr. Fábio Vicentini   |     Julho 22, 2011   |     Urologia

Os cálculos urinários são formados pela agregação de sais que compõem a urina, formando verdadeiras pedras.

De forma simplória, essas substâncias se agregam porque se encontram em altas concentrações na urina. É fácil de entender quando tentamos dissolver sal de cozinha num copo de água. Até certo ponto, o sal dissolve completamente. No entanto, se acrescentarmos quantidades cada vez maiores de sal, observaremos a precipitação do sal no fundo do copo.

A urina também é uma solução, co substâncias variadas que podem facilitar ou dificultar a formação de cristais ou pedras. A solução da urina é dinâmica, ou seja, ela é lavada constantemente devido ao fluxo de urina dos rins até a bexiga.

De que são feitos?

Os cálculos urinários podem ter várias composições, porém os tipos mais comuns são: oxalato de cálcio, fosfato de cálcio, ácido úrico, estruvita ( estes são cálculos formados durante infecção por certas bactérias), cistina.

Quem pode ser afetado?

O problema de calculose urinária aflige cerca de 3% da população e costuma surgir entre os 20 e 40 anos de idade, fase bastante produtiva da vida. É mais comum no sexo masculino, com uma proporção de três homens para uma mulher. A hereditariedade é também um fator importante. Pessoas que formaram cálculo urinário têm 10% de chance de formarem novo cálculo em um ano e esta possibilidade aumenta para 50 % em dez anos.

Hidrate-se no verão

A formação dos cálculos também tem relação com o clima, pois em períodos mais quentes do ano é mais comum a formação do cálculo. Isto acontece porque quando há maior transpiração ocorre concentração da urina facilitando os sais presentes a se agregarem e formarem um cálculo.

Atenção à alimentação

A dieta tem influência grande na formação de cálculos. É muito importante lembrar que a urina é constantemente lavada no aparelho urinário de forma muito rápida, portanto um cálculo deve ser formado rapidamente para que obstrua o fluxo normal (a cristalização de sais na urina com a consequente formação de um cálculo pode ocorrer em duas horas). Portanto excessos na dieta de substancias que favorecem a formação de cristais devem ser evitados.

Substâncias que favorecem a formação de cálculos:

  • sal (o excesso de sal “rouba” água da urina, concentrando-a);
  • substâncias ricas em oxalato – refrigerantes tipo cola;
  • vegetais verde escuros (como a couve);
  • molho inglês;
  • excesso de purinas (muita carne, por exemplo).

Sintomas

Os cálculos urinários podem não causar nenhum sintoma. Mas, quando provocam alguma obstrução à eliminação da urina produzida pelo rim, podem causar "cólicas renais", infecções urinárias, dilatação dos rins, dor para urinar, etc. Em casos extremos pode causar a perda da função do rim.

A dor causada pelos cálculos urinários se dá pela obstrução do aparelho urinário, o que causa aumento de pressão no sistema e cólica, sendo esta lombar na maioria dos casos com irradiação da dor para a parte inferior do abdome ou interior da coxa. Esta dor normalmente ocorre em surtos, pois há o aumento de pressão que causa a dor e, por mecanismos de proteção do rim, esta pressão abaixa e a dor cessa temporariamente, para depois retornar com muita intensidade.

Tratamento

De acordo com o médico, depois do tratamento inicial dos sintomas, é necessária avaliação cuidadosa. O tratamento depende do tamanho, localização, número de cálculos e dos sintomas associados.

Hoje em dia, grande parte dos cálculos pode ser tratada pela litotripsia extracorpórea, tratamento realizado com ondas de choque que fragmentam os cálculos, sendo que estes fragmentos são eliminados posteriormente pela urina.

Pessoas que formaram cálculo urinário têm 10% de chance de formarem novo cálculo em um ano e esta possibilidade aumenta para 50 % em dez anos. 

Outra forma de tratamento bastante utilizada e eficaz é a fragmentação e extração dos cálculos através de aparelhos que penetram no corpo por orifícios naturais como a uretra (endoscopia urológica, ureteroscopia, cirurgias percutâneas).

O tratamento é indolor, dispensa incisões e a recuperação é rápida. A fragmentação dos cálculos neste tipo de tratamento pode ser feita de diversas formas com uso de aparelhos de ultrassom, pneumáticos ou mais modernamente com uso de laser.

A escolha do tipo de tratamento depende de alguns fatores como localização do cálculo no aparelho urinário, tamanho e doenças associadas do paciente.

Além do tratamento dos cálculos existentes feito pelo médico urologista, é necessário que se previna do surgimento de novos cálculos. Isso pode ser feito com medidas simples como aumentar a quantidade de água ingerida e evitar o consumo de alguns alimentos. Algumas pessoas podem necessitar de medicação e da avaliação do médico nefrologista.

As pessoas portadoras de cálculos urinários podem ser tratadas de maneira eficiente e indolor, desde que bem conduzidas por profissional habilitado. As medidas preventivas são de grande importância e devem ser adotadas após a investigação de cada caso.

Dr. Fábio Vicentini

Dr. Fábio Vicentini

Dr. Fábio Vicentini é urologista do Centro de Cálculo Renal do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS