Diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta chances de cura

  Dr. Fabio Laginha   |     Outubro 9, 2014   |     Oncologia / Clínica da Mulher

Diagnóstico precoce do câncer de mama é fundamental para aumentar as chances de cura

O câncer de mama é o tipo mais comum entre mulheres e é também responsável pelo maior índice de mortalidade na população feminina. O “Outubro Rosa” é um movimento mundial de conscientização e desmistificação sobre o tema. Mostra a importância da prevenção, diagnóstico precoce e dos tratamentos na luta contra essa doença.

O diagnóstico precoce é essencial, pois, se detectada no início, a doença tem maior chance de cura e tratamentos menos agressivos. Para isso, são necessários exames de imagem como mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética: eles podem detectar tumores com menos de um centímetro, quando ainda não são palpáveis.

É recomendado que mulheres a partir de 40 anos façam mamografia uma vez por ano, pois a partir desta idade o risco começa a aumentar. A incidência é maior entre mulheres de 60 a 79 anos. Em determinados casos, pode ser necessário complementar com outros métodos de imagem, principalmente quando as mamas são densas. A dosagem de irradiação para o exame é pequena, segura e não apresenta risco à tireoide e outros órgãos.

É importante lembrar que não há uma causa única para o câncer. O histórico familiar, por exemplo, é um importante fator de risco. Por isso, mulheres com mãe ou irmãs que tiveram a doença ou câncer de ovário, podem ser mais vulneráveis. A idade, a menarca (primeira menstruação) precoce, a menopausa tardia, o fato de nunca ter engravidado ou ainda ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos são fatores de risco.

Assim como pessoas são diferentes, existem tipos de câncer de mama com comportamentos e riscos diversos. Por isto os tratamentos devem ser personalizados para obtermos melhores resultados. Basicamente usamos a cirurgia para o tratamento local e regional (gânglios), a radioterapia para consolidar e a quimioterapia para as possíveis células que possam ter disseminadas a distancia.

Ter um estilo de vida saudável também é recomendável: não abusar do álcool, controlar o excesso de peso e fazer atividades físicas regularmente podem ajudar na prevenção do câncer, assim como de diversas doenças, porém, não devem substituir a consulta periódica ao ginecologista e a realização de exames.

Dr. Fabio Laginha, mastologista da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho

Guia Prático da Saúde da Mulher

Dr. Fabio Laginha

Dr. Fabio Laginha

Dr. Fabio Laginha é ginecologista da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS