O que azia tem a ver com a alimentação?

  Dr. Guilherme Andrade   |     Maio 25, 2016   |     Gastroenterologia

Comer é uma das necessidades fisiológicas mais básicas do ser humano. Não há como sobreviver por muito tempo sem alimentação. Ok, sabemos disso. A questão é: mastigar qualquer coisa, sem rotina ou critério, é correto? Qual a repercussão de se ter hábitos alimentares ruins?

Tem gente que só come pão, massas, doces, frituras... Ao final de algumas semanas, percebe problemas de digestão e atribui a isso o que acredita ser uma gastrite, que é a inflamação ou infecção do estômago. Nem sempre, porém, esse é o real problema.

Conheça abaixo um sintoma e uma das doenças mais comuns relacionadas à alimentação inadequada:

Azia (sintoma): que atire a primeira pedra quem nunca sentiu aquela queimação no que é popularmente conhecido como “boca do estômago”? Nosso esôfago tem uma válvula que libera a passagem do alimento e, ao mesmo tempo, bloqueia o retorno dele, assim como o suco gástrico. Quando essa válvula não está funcionando corretamente, esse ácido utilizado pelo corpo para digerir os alimentos retorna pelo esôfago e gera a sensação de queimação;

Refluxo (doença): como vimos acima, essa inabilidade da válvula (temporária ou crônica) é responsável pela azia, mas outros sintomas podem estar associados ao problema, como rouquidão, náuseas depois da ingestão de alimentos, tosse seca etc.;

  • Temporária: quando a azia passa em um ou dois dias, é importante observar o que levou o paciente a ter o problema: tipos de alimentos, refeição com quantidade exagerada, ou mesmo jejum prolongado, etc.;
  • Crônica (Doença do Refluxo Gastroesofágico): quando a pessoa tem os sintomas mais de duas vezes por semana no último mês ou o uso de medicação não aliviou os sintomas, o diagnóstico tende a indicar que a doença está em grau mais avançado.

Atente-se para os sinais de alarme

Início após os 55 anos, história familiar de câncer do aparelho digestivo, perda de peso, sangramento, dor ou dificuldade para engolir, vômitos persistentes e anemia. Em alguns casos, é necessária uma cirurgia para correção da válvula esofágica (esfíncter), resolvendo o problema de retorno do conteúdo gástrico pelo esófago.

Já que precisamos nos alimentar, por que não fazer isso da melhor maneira?

Já que precisamos nos alimentar, por que não fazer isso da melhor maneira? Hábitos simples podem diminuir o risco de aparecimento do refluxo, e são uma boa pedida para a saúde como um todo.

Obesidade, tabagismo, doenças como asma e diabetes favorecem o aparecimento do problema. Se você tem sentido queimação com frequência, observe o que pode estar causando o sintoma, mas, acima de tudo, procure avaliação médica.

A vida corrida não justifica descuidar da alimentação saudável e nem das atividades físicas. Cuide do seu corpo!

Guia da Vida Saudável sem Estresse

Dr. Guilherme Andrade

Dr. Guilherme Andrade

Dr. Guilherme Andrade é médico do Centro de Gastroenterologia do H9J.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS