9 benefícios do ciclismo para o seu organismo

  Dr. Ricardo Nahas   |     Setembro 4, 2014   |     Medicina do Esporte

9 benefícios do ciclismo para o seu organismo

Até pouco tempo a bicicleta era usada para fins esportivos em locais isolados e por pequenos grupos de entusiastas do ciclismo. Hoje, ao mesmo tempo em que conquista novos adeptos, a bicicleta retoma seu status de importante meio de locomoção.

O cenário para os ciclistas nunca esteve tão favorável. Só em São Paulo, por exemplo, mais 400 km de ciclovia devem ser inaugurados até o fim de 2015. Também há uma maior conscientização dos cidadãos – especialmente motoristas – em relação ao respeito e à segurança deste meio de transporte. Além disso, diversos parques como o Ibirapuera, o Villa Lobos e o Parque do Carmo oferecem espaço para quem quer pedalar.

Se faltam motivos para você virar um adepto deste esporte – ou meio de locomoção – listamos nove benefícios para te convencer:

1. Maior capacidade cardiovascular: por ser uma atividade de longa duração, portanto aeróbia, o ciclismo faz com que o coração do praticante bata de forma constante e intensa, o que resulta em um aumento da capacidade cardiovascular. E isso, é claro, tem um efeito positivo na prevenção de doenças cardíacas.

2. Diminuição do risco de câncer: vários estudos recentes associam atividades físicas – ciclismo incluído – com a diminuição do risco de se desenvolver alguns tipos de câncer, especialmente o de mama, de próstata e de cólon.

3. Baixo impacto: ao contrário da corrida, o ciclismo é uma atividade de baixo impacto. Com isso, joelhos, espinha dorsal e tornozelos são poupados, já que não precisam suportar o peso do corpo. (É preciso, no entanto, que o ciclista se atente à altura do banco para evitar um ângulo muito alto de rotação das pernas).

4. Músculos fortalecidos (especialmente os inferiores): andar de bicicleta trabalha os grandes grupos musculares das pernas e ainda estimula a contração do abdome, pois a atividade exige uma boa postura. Pedalar é um exercício de resistência muscular localizada e aeróbia, o que melhora o condicionamento físico do praticante.

5. Melhor coordenação: apesar do maior esforço concentrado nos membros inferiores, o ciclismo é uma atividade que exige sincronismo e equilíbrio do corpo todo, o que melhora a coordenação motora.

6. Mais energia: a atividade pode melhorar o nível de energia em até 20% e diminuir a fadiga em até 65%, de acordo com um estudo publicado no Psychotherapy and Psychosomatics. O motivo é a liberação de dopamina, neurotransmissor responsável por suprir a energia do corpo.

7. Menos calorias: dependendo do volume da atividade, o ciclismo pode “queimar” de 300 a 500 calorias por hora, uma ótima forma de evitar – ou combater – a obesidade e melhorar o condicionamento físico.

8. Colesterol controlado: pelo aumento da circulação sanguínea, o maior fluxo de sangue evita que o LDL, o colesterol ruim, se acumule nas paredes das artérias. Com isso, além de livrar o corpo do colesterol ruim, a atividade previne contra a aterosclerose.

9. Combate ao estresse: assim como todos os exercícios físicos – principalmente aeróbicos – o ciclismo ajuda a aliviar o estresse. Pedalar, no entanto, tem mais um ponto a favor sobre as demais atividades físicas: a bicicleta é uma ótima forma de evitar o trânsito, uma das principais fontes de estresse de hoje em dia.

Dr. Ricardo Nahas é médico do Esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho.

Guia da Vida Saudável sem Estresse

Dr. Ricardo Nahas

Dr. Ricardo Nahas

Dr. Ricardo Nahas é coordenador do Centro do Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS