9 dicas para evitar a queda de idosos no ambiente doméstico

  Dr. Marcelo Levites   |     Março 26, 2015   |     Longevidade / Ortopedia

queda_idosos.png

As quedas, principalmente as que ocorrem dentro de casa, são a principal causa de acidentes envolvendo idosos no Brasil. Estima-se que a cada ano pelo menos 30% das pessoas com mais de 65 anos sofra algum tipo de complicação em decorrência disso, de acordo com estatísticas do Ministério da Saúde. O número sobe para 40% quando consideramos idosos acima dos 80 anos.

Mesmo em pessoas mais jovens, uma queda pode resultar em traumas. Porém, os riscos de uma lesão mais grave são maiores para a terceira idade devido à fragilidade da estrutura óssea, principalmente em idosos que sofrem de osteoporose. Aproximadamente 5% dos casos de acidente, resultam em uma complicação grave como fratura, embolia ou até mesmo a morte.

Mas por que as quedas em idosos são tão frequentes? Algumas características físicas estão diretamente relacionadas a este fenômeno: fraqueza muscular, articulações prejudicadas, menor aptidão física e perda do equilíbrio são algumas delas.

Doenças como Parkinson e artrite também são fatores que aumentam as probabilidades de queda, assim como o uso de determinados medicamentos com efeito sedativo.

Para se evitar ao máximo as quedas no ambiente doméstico, listamos nove dicas úteis. Confira abaixo:

1-) Oriente o idoso a usar calçados com solado antiderrapante, evitando saltos, chinelos e sandálias com elásticos;

2-) Instale corrimãos em ambos os lados das escadas e piso antiderrapante em todos os degraus da casa; uma boa medida é acomodar o idoso em um local no andar térreo;

3-) Coloque tapetes antiderrapantes no banheiro e barras de apoio ao lado do vaso sanitário e no chuveiro;

4-) Retire tapetes dos cômodos e corredores e evite usar produtos que deixem o chão escorregadio, como ceras;

5-) Deixe um abajur próximo à cama, que deve estar a uma altura de fácil acesso;

6-) Evite deixar objetos de uso diário em locais de difícil acesso (muito altos ou muito baixos), especialmente o telefone, que deve estar sempre acessível no caso de uma emergência;

7-) Certifique-se dos efeitos colaterais dos medicamentos ministrados e não deixe o idoso desacompanhado após uso de remédio com efeito sedativo;

8-) Incentive a prática de atividades físicas para fortalecer músculos e articulações, sempre com orientação médica e respeitando as limitações do idoso;

9-) Certifique-se de que o idoso faz acompanhamento médico periódico.

Em caso de quedas, observe se há confusão mental fazendo perguntas simples e leve o idoso ao atendimento de emergência o quanto antes.

Dr. Marcelo Levites é coordenador do programa de longevidade do H9J.

Dr. Marcelo Levites

Dr. Marcelo Levites

Marcelo Levites é clínico geral e coordenador do programa de longevidade do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS