Festas Juninas: cuidados para evitar queimaduras

  Dr. Renato Poggetti   |     Junho 27, 2016   |     Trauma / Dermatologia

Queimaduras são lesões que podem ser causadas por vários fatores: calor, frio, eletricidade e produtos químicos. Normalmente elas afetam apenas a pele, mas em alguns casos mais raros e profundos podem atingir músculos, ossos e vasos sanguíneos.

O mais preocupante é que a maioria das queimaduras ocorre em ambiente doméstico e, portanto, podem ser evitadas. Os tipos mais comuns são aqueles causados por álcool líquido, escaldos com líquidos muito quentes, queimaduras de contato (como ferro de passar roupa, panelas, forno) e as por eletricidade. Acidentes com produtos químicos ou fogões também são comuns ao longo do ano todo.

A maioria das queimaduras ocorre em ambiente doméstico e, portanto, podem ser evitadas.

Porém, nesta época do ano é comum haver um aumento nos casos causados durante festas juninas, em que os participantes se expõem a uma série de riscos como fogueira, balões, proximidade a fogões e fornos à lenha, bebidas alcoólicas e fogos de artifício.

Prevenção

Festas juninas sem fogueiras não são festa junina, certo? Mas para garantir a segurança de todos – especialmente da criança – é preciso seguir determinadas condutas de segurança como usar materiais próprios para acender o fogo, manter a fogueira em um local isolado, fora dos locais de circulação de pessoas, e sempre supervisionar as crianças para evitar acidentes domésticos.

As queimaduras por álcool líquido representam cerca de 40% das causas de acidentes. O uso dessa substância é na maioria das vezes dispensável, seja para acender fogueiras, churrasqueiras ou fornos, bem como para limpeza doméstica.

As queimaduras por álcool líquido representam cerca de 40% das causas de acidentes.

Os balões representam um risco ainda maior não apenas para quem os solta: ao caírem, eles geralmente causam incêndios em casas, prédios e matas, além de causar danos à rede elétrica. Vale lembrar que a prática é crime e, portanto, proibida.

Atendimento

O atendimento imediato na primeira hora após o trauma pode minimizar edemas e complicações. Independente do grau, a vítima deve ser imediatamente encaminhada ao pronto-socorro.

Nestes momentos, é importante não seguir as inúmeras crenças populares para tratar de queimaduras: pasta de dentes, manteiga, pó de café, clara de ovo, folha de bananeira, açúcar... Nada disso deve ser usado na vítima.

Além de piorar o local da lesão, estas substâncias podem agravar o quadro clínico do paciente, retardando o tratamento e a cicatrização

Saiba como proceder em caso de acidentes

Tipos de lesão

  • Primeiro grau: atinge somente a camada superficial da pele, identificada por uma vermelhidão na área atingida;
  • Segundo grau: é mais profunda, causa muita dor e apresenta bolhas de água sob a pele;
  • Terceiro grau: atinge todas as camadas da pele, mas não causa muita dor, pois as terminações nervosas são destruídas, acabando com a sensibilidade da área atingida. A pele fica dura e seca e pode ficar tanto escurecida quanto esbranquiçada.
Dr. Renato Poggetti

Dr. Renato Poggetti

Dr. Renato Poggetti é especialista em trauma do Hospital 9 de Julho

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS