Os riscos da automedicação

  Dra. Samantha Kelmann   |     Abril 14, 2011   |     Dermatologia

Muitas pessoas recorrem à automedicação quando acreditam estar com um problema de baixa gravidade ou quando passaram por uma condição semelhante e possuem o medicamento utilizado anteriormente em casa. Conselhos dos mais velhos também são bastante considerados no momento de escolher entre consultar um médico e se medicar em casa. Quem nunca ouviu "tome tal remédio para o que você está sentindo"? Contudo, até que ponto podemos confiar nossa saúde a esses remédios e ao nosso conhecimento?

Problemas relacionados a remédios podem acontecer até mesmo quando a medicação está sendo administrada corretamente. Esse foi o tema do Lanche Clínico realizado no Hospital 9 de Julho na última quarta-feira.

A Dra. Samantha V. Kelmann, dermatologista da Comissão de Farmacovigilância do hospital, falou sobre RAM - Reação Adversa a Medicamentos, que é responsável por até 6% das admissões hospitalares.

"A RAM afeta diretamente a confiança do paciente no médico e deve ser tratada com seriedade. Temos diversas maneiras para detectá-la antes que os sintomas se manifestem completamente, evitando complicações", afirma a doutora.

Mesmo quando elaborados para provocar o alívio de sintomas, a maioria dos remédios possuem efeitos colaterais. São reações indesejadas do organismo às substâncias ingeridas, consequência da rejeição do organismo a algum composto dentro da substância. Essas consequências podem variar desde coceiras, problemas estomacais ou renais a até mesmo hemorragia.

A consulta médica deve sempre ser a primeira opção quando se trata da sua saúde. Caso você vá usar medicamentos armazenados em casa, atente para as orientações abaixo:

Atenção com alergias

Saber se possui alguma alergia e o que a causa pode lhe evitar muitos problemas. Caso nunca tenha feito um teste para descobrir, procure um especialista e faça!

Só use o que você comprar

Remédios dos outros podem não ser apropriados para você, ou mesmo estar fora de condições para consumo (fora de validade, preservados em temperatura inadequada, etc.). Busque sempre consumir medicamentos comprados por você e em locais autorizados.

Faça uma limpeza

É normal guardarmos remédios para emergências futuras. Lembre-se apenas de deixá-los fechados e em locais apropriados, dentro das recomendações na embalagem. Além disso, fique atento à validade.

Fuja da bebida

Álcool e outras drogas podem agravar os efeitos colaterais, elevando os riscos causados pelos remédios. Se for sair, tome bebidas sem álcool. Você pode, por exemplo, aproveitar o calor e investir em sucos!

Cuidado com a dosagem

Não exagere na dose dos remédios: a overdose de medicamentos é uma prática de altíssimo risco! Além disso, aumentar a dosagem não aumenta o efeito do. A dosagem recomendada pelo seu médico ou vista pela bula já foi planejada para que os efeitos do remédio estejam otimizados.

O acompanhamento de um especialista é o ideal

Sempre que possível, opte por fazer o tratamento completo com o acompanhamento médico.

Além de lhe indicar o mais adequado, ele também irá acompanhar os resultados e os efeitos colaterais.

Dra. Samantha Kelmann

Dra. Samantha Kelmann

Dra. Samantha Kelmann é Dermatologista do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS