Você conhece os exames ginecológicos mais comuns?

  Dra. Barbara Murayama   |     Dezembro 27, 2016   |     Clínica da Mulher

A medicina nos oferece, hoje em dia, um leque variado de exames para facilitar a investigação diagnóstica das doenças da mulher.
Abaixo falamos sobre os mais alguns dos mais importantes.

1. Histeroscopia

Versátil por ser ao mesmo tempo exame e diagnóstico, a histeroscopia permite ao médico a visualização de toda a parte interna do colo uterino.

  • Diagnóstica: é utilizada para melhor visualização do útero, menstruação irregular, infertilidade, avaliação de lesões;
  • Cirúrgica: além de avaliação de sangramento uterino anormal (mais comum na menopausa), faz o tratamento de malformações do órgão, remove miomas, de pólipos do endométrio e endocervicais, trata infertilidade, mas também pode bloqueá-la com método contraceptivo definitivo.

Em geral, e quando o objetivo é apenas diagnóstico, a histeroscopia é feita em regime ambulatorial e não requer anestesia. Nos casos cirúrgicos, porém, é realizada em ambiente hospitalar, com aplicação de anestesia. O acesso é feito por via vaginal, o que diminui riscos de infecção e de sangramento.

2. Ultrassonografia Pélvica (transvaginal)

É indicada também para visualizar o útero, ovários e a irrigação sanguínea do aparelho reprodutor feminino. A avaliação das estruturas é feita com a introdução de um pequeno aparelho no canal vaginal.

Existem outras variedades de ultrassonografia, como a de mama (faz a identificação e classificação de nódulos), obstétrica (visualização do crescimento do bebê) e morfológica (avaliação do crescimento e dos órgãos do bebê).

3. Mamografia

É um exame que utiliza raios-x para identificar lesões, muitas delas pequenas (questão de milímetros), e avaliar eventuais nódulos nas mamas. A indicação principal é para mulheres acima dos 50 anos de idade.

Quem tem histórico de câncer de mama em parentes de primeiro grau, especialmente mãe e irmã e se o tumor foi descoberto antes dos 50 anos, deve fazer acompanhamento periódico 10 anos antes da idade em que a parente foi diagnosticada.

Demais indicações para uma investigação frequente mais criteriosa:

  • Quem teve a primeira menstruação antes dos 12 anos;
  • Quem teve menopausa depois dos 50;
  • Mulheres que engravidaram depois dos 30 anos

Veja dicas para realizar a mamografia com mais conforto.

4. Ultrassonografia da mama

Quando a mulher ainda não está na faixa etária indicada para fazer mamografia, a ultrassonografia da mama é uma boa opção para identificação de lesões no tecido mamário.

5. Papanicolaou (Colpocitologia Oncótica)

Indicado para mulheres sexualmente ativas, o exame faz o rastreamento de câncer de colo de útero. O médico realiza o esfregaço da parede uterina e esse material é encaminhado para análise em laboratório. O objetivo é identificar a doença em estágio inicial ou quando as lesões ainda são benignas (verrugas), mas é possível detectar também sífilis, candidíase, gonorreia etc. É recomendado que o exame seja realizado anualmente.

6. Exames laboratoriais

Há ainda uma série de exames de análises clínicas que podem ser indicados para diagnóstico da saúde da mulher, entre eles estão os de dosagem hormonal (incluindo a análise da tireoide), hemograma (para detecção de anemia em mulheres com menstruação intensa, ou de infecção urinária), além da identificação de alterações características de doenças metabólicas, como diabetes (glicemia) etc.

Cabe ao seu médico entender quais as suas necessidades e verificar quais exames são os mais indicados.

Guia Prático da Saúde da Mulher

Dra. Barbara Murayama

Dra. Barbara Murayama

Dra. Barbara Murayama é ginecologista e coordenadora da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS