Emagrecendo com saúde: dietas que não colocam seu corpo em risco

  Telma Ranalli   |     Novembro 6, 2015   |     Gastroenterologia / Alimentação

Muita gente torce o nariz ao ouvir falar de dieta. A ideia de cortar do dia a dia alimentos que gosta não é nada agradável. Ainda assim, há quem acredite que o esforço de comer só sopa no jantar ou consumir apenas proteínas vale a pena para chegar ao peso ideal.

A verdade é que essas restrições são apenas indicadas em algumas ocasiões, como no caso de intolerância a algum alimento ou para quem precisa tratar doenças como gastrite, que exige uma alimentação mais restrita por um tempo determinado.

Quando adotadas com o fim único de emagrecer, as dietas podem ter um efeito rápido e aparentemente eficaz. Contudo, depois de finalizadas, os hábitos alimentares costumam voltar ao que eram antes, trazendo de volta os quilos perdidos.

A melhor maneira de emagrecer com saúde é passar por um processo de reeducação para se adotar uma alimentação saudável.

Existem inúmeras dietas com supostos benefícios. Entre as mais recentes, a Dukan é a mais famosa, pois teve entre suas “garotas-propaganda” a duquesa britânica, Kate Middleton. Composta por cinco fases, a Dukan restringe alimentos em todas elas.

Na primeira etapa, que deve durar 10 dias, o programa permite o consumo de proteínas à vontade, mas proíbe a ingestão de legumes e verduras, por exemplo. Muitas das famosas que investiram neste método o fizeram para perder os quilos ganhados durante a gravidez. Isto é, nada de seguir com ela pelo resto da vida.

Outra que tem feito sucesso entre aqueles que querem emagrecer e ganhar massa muscular é a “paleolítica” que, acredite, estimula a ingestão apenas do que os “homem das cavernas” consumiam. Isto é, esqueça macarrão, pizza e pão. Somente são permitidas proteínas como carne e leite, carboidratos como batata, legumes e verduras e castanhas. Alguns adeptos chegam a consumir carne crua, o que é perigoso por conta de bactérias presentes na proteína, entre elas a salmonela.

O principal problema de dietas como as duas citadas acima é a restrição do consumo de grupos alimentares, trazendo riscos se adotadas por longos períodos. Consumir legumes, verduras e carboidratos como arroz integral e batata é essencial para o bom funcionamento do organismo, além de fornecer nutrientes que nos mantém saudáveis.

Ingerir apenas proteína pode sobrecarregar alguns órgãos, como rins, fígado e pâncreas. Aderir a programas que só permitem a ingestão de líquidos, ainda que todos os nutrientes estejam presentes na receita, prejudica até a digestão, processo que começa na mastigação, ausente nesse tipo de regime.

Mas, então, qual dieta devo adotar?

A não ser que você seja celíaco (intolerante ao glúten), tenha alguma alergia alimentar ou precise tratar problemas gastrointestinais, a resposta é nenhuma!

A melhor maneira de emagrecer com saúde é passar por um processo de reeducação para se adotar uma alimentação saudável, acompanhado por um nutricionista e um endocrinologista, que devem indicar as quantidades ideais de alimentos a serem consumidos em cada refeição, sem que nenhum grupo alimentar seja posto de lado.

Ao aprender a combinar e fracionar adequadamente os alimentos, você condiciona seu corpo aos novos hábitos e aprende a fazer escolhas mais inteligentes, sem precisar abrir mão da pizza do fim de semana ou do vinho tinto com as amigas.

Guia da Vida Saudável sem Estresse

Telma Ranalli

Nutricionista do Centro de Controle de Peso do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS