Dor de estômago: conheça as possíveis causas

  Dr. Guilherme Andrade   |     Novembro 17, 2015   |     Gastroenterologia

dor_de_estomago_possiveis_causas

Todo mundo já teve uma dor de estômago em algum momento da vida. Quando a causa da dor são gases, estresse ou um alimento que não caiu bem, o desconforto costuma passar em poucos dias. O que muita gente não sabe é que, se for constante, a dor pode ser não apenas um incômodo, mas um sintoma de alguma doença que precisa de tratamento.


Existem vários males que atacam o aparelho gastrointestinal e eles são apenas diagnosticados com a realização de exames. A endoscopia, que consiste em introduzir um pequeno tubo com uma câmera pela boca para visualização do esôfago e da primeira parte do intestino delgado, é o principal deles. Com esse procedimento, é possível verificar o que há de errado em todo o sistema gástrico e, assim, passar um diagnóstico mais preciso

Geralmente, doenças mais graves como gastrite e refluxo vêm acompanhadas de outros sintomas além das dores de estômago. Veja abaixo alguns dos problemas gastrointestinais mais comuns e como tratá-los. 

Gastrite 

Inflamação nas mucosas das paredes do estômago, causada especialmente pela bactéria H Pylori, que desequilibra o PH gástrico. O consumo de alimentos gordurosos, cítricos, álcool em excesso, cigarro e até medicamentos, pode agravar o problema, estimulando a atividade da bactéria.

O tratamento recomendado pelos médicos, além de medicamentos, é a adoção de uma alimentação mais leve, com mais fibras, menos alimentos industrializados e uma série de indicações que varia de acordo com o paciente. No entanto, há casos em que a gastrite é atrófica, ou seja, crônica, em que o paciente já possui predisposição de ter a doença. Quando isso acontece, o ideal é fazer acompanhamento e exames regulares e seguir o tratamento indicado pelo médico. 

Refluxo

A doença é causada pela abertura constante da válvula do esôfago, que deveria abrir só com a ingestão de alimento. Por manter-se aberta, o alimento ingerido volta, causando dores no estômago, azia e também queimação no esôfago. Essa abertura pode ser provocada pelos hormônios liberados pelo estresse e por alimentos como café, refrigerante e bebidas alcoólicas.

Comer muito rápido, sem mastigar o suficiente, também pode causar refluxo. Antigamente, o tratamento mais comum era a cirurgia que corrigia o fechamento da válvula. Atualmente, o mais indicado pelos médicos é o medicamentoso, suficiente para corrigir o problema. Em longo prazo, o refluxo pode ser um fator de risco para câncer de esôfago, se não tratado a tempo. 

Intolerância alimentar

Provocada pela falta de enzimas responsáveis por digerir alguns elementos do que se é ingerido, como o glúten, proteína presente no trigo, e a lactose, o açúcar do leite. O problema pode ser adquirido ao longo da vida e, além da dor estomacal, outros sinais da doença são gases, enjoo, vômito e diarreia.

Para diagnosticar a causa da intolerância, é necessário tirar alguns alimentos da dieta por alguns dias até que se consiga avaliar qual deles é o responsável pelos sintomas. Ao ser identificado, o paciente deve restringir o consumo de qualquer alimento que possa provocar a reação.

Pancreatite

Uma dor forte na região do estômago é o principal sintoma dessa doença, provocada especialmente pelo excesso de bebidas alcoólicas. A Pancreatite pode ser aguda ou crônica. A primeira é causada pela formação de pequenos cálculos biliares que obstruem os canais do pâncreas e inflama o tecido do órgão. Já a pancreatite crônica, também provocada pelo excesso de álcool, atrofia os canais do pâncreas e enrijecendo seu tecido.

Infelizmente, na maioria dos casos, a doença só é identificada quando a dor estomacal se torna insuportável, o que indica que o problema já está em um estágio avançado. A pancreatite não tem cura, mas existe tratamento medicamentoso para amenizar os sintomas, quando o quadro não é emergencial, o que exige atendimento imediato.

Câncer de intestino

A incidência da doença tem aumentado no Brasil. Estudos mostram que o consumo excessivo de carne, de produtos industrializados e alimentos defumados pode acelerar o surgimento da doença. Por ter início assintomático, a mortalidade causada por este tipo de câncer ainda é alta, chegando a mais de 15 mil casos em 2013, segundo o Instituto Nacional do Câncer. Quando surgem os principais sintomas - intestino preso, dor de estômago, fezes com sangue e vontade de evacuar constantemente - o câncer pode estar em fase avançada.

A doença pode ser tratada com medicamentos e cirurgia. Fique atento aos sinais que o corpo dá e não hesite em procurar ajuda profissional se as dores de estômago ou qualquer um dos sintomas acima durarem mais de cinco dias. A partir dos 50 anos, recomenda-se a fazer exames de colonoscopia regularmente que ajudam a diagnosticar qualquer sinal da doença.

Dr. Guilherme Andrade, médico do Centro de Gastroenterologia do H9J

Dr. Guilherme Andrade

Dr. Guilherme Andrade

Dr. Guilherme Andrade é médico do Centro de Gastroenterologia do H9J.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS