Colesterol: o que é e por que é perigoso

  Hospital 9 de Julho   |     Agosto 8, 2011   |     Cardiologia / Endocrinologia / Alimentação

O colesterol é de grande valia para o corpo humano, ele é um tipo de gordura (lipídio), componente essencial das membranas celulares e garante a sua permeabilidade e fluidez.

Ele é essencial para a produção de vários hormônios, vitamina D e ácidos biliares. 70% do colesterol em nosso corpo é fabricado no fígado, dentro do próprio organismo e os outros 30% vêm da dieta.

Há dois tipos de colesterol:

O LDL também chamado de colesterol “mau”, pois, quando em excesso, pode se depositar nas paredes das artérias, deixando placas de lipídios. Esse processo se chama arteriosclerose e dificulta a circulação sanguínea para órgãos vitais e tecidos, podendo causar complicações cardiovasculares.

E o HDL, conhecido como o colesterol “bom”, que transporta o colesterol das células para o fígado, eliminando-o pela bile e pelas fezes. Por realizar esse “transporte”, quando o nível deste colesterol está baixo, o risco de doença cardiovascular é maior.

Mas, apesar dos muitos problemas que podem estar associados a ele, é difícil perceber sozinho que seus níveis de colesterol no sangue estão acima do normal, já que não existem sintomas específicos para a hipercolesterolemia. Muitas vezes, as pessoas não percebem o problema até que os primeiros sintomas circulatórios se apresentam. Por isso é importante estar atento aos fatores de risco. Alguns deles são:

  • Sedentarismo / Excesso de peso
  • Excesso de gordura na alimentação
  • Tabagismo
  • Idade
  • Histórico familiar

A taxa de colesterol no sangue pode ser diagnosticada através de um exame sanguíneo simples, também conhecido como painel de lipídos (ou perfil lipídico), que mede a taxa dos diferentes tipos de colesterol e triglicerídeos no sangue.

Se você fez o teste e houve alteração, há atitudes que você pode tomar para reduzir esse nível alto. Também, se você quer se prevenir, essas formas de se evitar o aumento do nível de colesterol no sangue podem ajudar:

  • Praticar atividades físicas
  • Perder peso
  • Fazer uma reeducação alimentar / Dieta balanceada
  • Evitar fumo e álcool em excesso

Essas atitudes, entretanto, devem ser tomadas em conjunto com seu médico, pois nem sempre são suficientes para normalizar as taxas altas de colesterol no sangue que podem estar associadas a outros fatores como distúrbio de metabolismo. Se, apesar de seguir todos esses passos, o nível ainda estiver alterado, só seu médico poderá avaliar qual o melhor tratamento para seu caso.

Na dúvida, visite seu médico e faça exames regularmente.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS