Câncer nos ovários: uma doença silenciosa e de alto risco

  Dr. Marcos Minamoto Miyabe   |     Abril 6, 2018   |     Ginecologia / câncer no ovário

O câncer é uma doença bastante delicada, com um tratamento que exige muito do paciente. Entre as mulheres, um dos tipos mais preocupantes é o que surge nos ovários. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são mais de seis mil novos casos todos os anos.

Assim como acontece com outros tumores, existem maneiras de tratá-lo. Além disso, o diagnóstico na fase inicial reduz as chances de evolução da doença e o risco de morte.

Veja abaixo informações relevantes sobre sintomas e tratamentos para o câncer nos ovários.

Qual é a origem do câncer nos ovários?

Na verdade, o termo “câncer de ovário” abrange diversos tipos de tumores que atingem a região. Na maioria das vezes, a doença se origina nas células epiteliais que ficam na superfície dos ovários, os chamados carcinomas.

O tumor também pode ter origem nas células germinativas, que geram os óvulos. Em situações mais raras, o problema se desenvolve com células dos cordões sexuais, com menor potencial maligno.

O carcinoma ocorre principalmente nas mulheres na pós menopausa. Já os tumores das células germinativas são mais comuns em adolescentes e mulheres mais jovens, enquanto o câncer no cordão sexual não tem relação com a idade.

Fique atenta aos sintomas

Os sintomas mais frequentes, porém não específicos, podem acontecer em diversas outras situações, por isso sempre importante procurar o médico regularmente:

  • aumento no volume do abdômen;
  • dores na região pélvica e abdominal;
  • dificuldade para comer ou diminuição drástica do apetite;
  • sensação de fadiga;
  • perda repentina de peso;
  • vontade constante de ir ao banheiro.

Conforme a doença avança, é possível ter náuseas, enjoo e até sangramentos ao urinar. Se esses sinais se apresentarem é recomendado procurar um médico imediatamente.

Diagnóstico

Apesar do que mostramos no tópico anterior, boa parte das pacientes não manifesta sintomas, e isso é um perigo. Em muitos casos, quando eles surgem, a doença já está em estágio avançado.

Por essa razão, é extremamente importante ficar de olho na própria saúde, nos sinais que o organismo dá e visitar regularmente um médico.

exame ginecológico pode revelar informações essenciais para o diagnóstico.

Apesar de ainda não haver exames bem estabelecidos para rastreamento do câncer de ovário, a ultrassonografia e alguns marcadores tumorais sanguíneos, principalmente o CA 125, podem auxiliar no diagnóstico precoce.

Tratamento contra o câncer nos ovários

O tratamento depende do tipo de tumor e também de fatores como o estágio da doença, a idade e a condição de saúde da paciente.

Um dos meios mais usados é a cirurgia para retirar a área afetada. A quimioterapia é outra alternativa, mas como um complemento da operação.

Previna-se!

Recomendações básicas de uma vida saudável: evitar o excesso de álcool, não fumar, praticar exercícios físicos e alimentar-se bem são fundamentais na prevenção deste tipo de câncer uma vez que não dispomos, até o momento, de exames preventivos eficazes.

Quando existe história familiar de câncer, a investigação de mutações genéticas como o BRCA1 e 2 e de síndromes hereditárias como a Lynch II são armas importantes na prevenção.

O uso de anticoncepcional oral, a laqueadura, a histerectomia e gestações são fatores protetores para os tipos mais comuns de câncer de ovário.

Lembre-se de que a prevenção é sempre mais simples e fácil do que o tratamento. Por isso, faça consultas periódicas com seu ginecologista, realize os exames de rotina e fique atenta ao surgimento e à persistência de qualquer sintoma.

Guia Prático da Saúde da Mulher

Dr. Marcos Minamoto Miyabe

Oncoginecologista da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS