Vacina contra a gripe: por que é importante e quem deve ser vacinado?

  Dra. Regina Tranchesi   |     Maio 10, 2017   |     Infectologia

Iniciada no mês passado, a campanha de vacinação contra a gripe vai se estender até o dia 26 de maio na rede pública, mas a vacina continuará disponível nas clínicas médicas e laboratórios.

Entenda porque é importante se vacinar contra a gripe

O objetivo da vacinação é reduzir a circulação do vírus e, consequentemente, o número de hospitalizações e risco de morte devido à gripe, já que o Influenza está relacionado a uma série de complicações como pneumonia e doenças cardíacas, por exemplo.

E vale a pena se vacinar: segundo o Ministério da Saúde, já é possível notar um índice de redução de episódios da doença este ano, se comparado ao ano anterior, quando houve predominância da circulação do vírus da gripe A (H1N1). Foram registrados em 2016, cerca de 12 mil casos, com 2.200 mortes em decorrência da gripe.

Existe diferença entre as vacinas dadas em locais públicos e particulares?

Sim. Além do preço, já que no SUS a vacina é gratuita, e nas clínicas e laboratórios custa em média R$ 100,00, outra diferença é o nível de proteção.

A profilaxia oferecida no SUS protege contra três tipos do vírus (trivalente) da gripe. Normalmente, são variações dos vírus A (H1N1), A (H3N2) e gripe B, que causam epidemias sazonais e têm sintomas semelhantes aos outros vírus, com quadros de febre alta, tosse seca, dor de garganta, dor de cabeça e dor muscular.

A vacina é muito segura. Normalmente, é contraindicada apenas para quem tem alergia ao ovo.

Já as aplicadas em locais particulares são tetravalentes e, além dessas três cepas, contém o vírus Influenza B, subtipo Phuket/3073/2013.

Quem não pode ficar sem a proteção?

De acordo com o Ministério da Saúde, o grupo prioritário para a vacinação é formado por:

  • Trabalhadores de saúde;
  • Professores das redes públicas e privadas (novidade desse ano!);
  • Pessoas a partir de 60 anos;
  • Crianças de seis meses a menores de cinco anos;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Povos indígenas;
  • Gestantes;
  • Puérperas (até 45 dias após o parto);
  • Pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas;
  • Pacientes com doenças crônicas, desde que autorizadas pelo médico.
  • E funcionários do sistema prisional.

Há restrições contra a vacina?

A vacina é muito segura. Normalmente, é contraindicada apenas para quem tem alergia ao ovo. Portanto, se você ainda não se vacinou, não deixe de procurar um local para se proteger contra os vírus da gripe.

Guia da Vida Saudável sem Estresse

Dra. Regina Tranchesi

Dra. Regina Tranchesi

Dra. Regina Tranchesi é Infectologista do Hospital 9 de Julho.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS