Asma: uma doença respiratória que se agrava no frio

  Dr. Alexandre Kawassaki   |     Junho 7, 2017   |     Doenças Respiratórias

Basta a temperatura e a umidade do ar baixarem, como nos dias típicos de outono e inverno, que as doenças respiratórias começam a fazer suas vítimas. Nariz escorrendo, tosse, dificuldade para respirar e irritação na garganta são alguns sintomas que indicam esses problemas de saúde.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o índice ideal da umidade do ar para manter a saúde é em torno de 60%. Nesta época do ano, esse volume cai para 30% e, com isso, os problemas respiratórios e as infecções por vírus e bactérias se tornam mais frequentes.

Estima-se que a asma afeta de 4 a 10% da população mundial e é uma das principais causas de internações de crianças de até 6 anos de idade.

Além disso, nos dias mais frios, acabamos tirando dos armários casacos, cachecóis, cobertores, luvas e edredons que estavam guardados há muito tempo e junto com eles vêm também os ácaros, vírus, fungos e bactérias, que causam doenças comuns nesta época.

Uma dessas doenças é a asma. Estima-se que ela afeta de 4 a 10% da população mundial e é uma das principais causas de internações de crianças de até 6 anos de idade.

O que é a asma?

A asma é uma doença alérgica que se caracteriza por uma inflamação crônica das vias aéreas. Ela é causada por fatores genéticos, mas não necessariamente é transmitida hereditariamente.

Pais asmáticos têm mais chances de gerar filhos com a enfermidade, porém uma criança pode nascer com asma mesmo que não haja histórico da doença na família.

O que causa essa doença?

Vários fatores podem levar a episódios de asma. Entre eles estão o contato com agentes alergênicos como poeira, ácaros, pelos de animais e pólen.

As crises também podem se manifestar como decorrência de infecções respiratórias virais como gripes. Para algumas pessoas, a fumaça de cigarro, a poluição do ar e alguns aerossóis também são fatores desencadeantes dos sintomas, assim como variações climáticas bruscas.

Em outros casos, ela surge após a utilização de determinados tipos de medicamentos ou mesmo por distúrbios de origem emocional.

Como prevenir o problema?

Embora não tenha cura conhecida, é possível ter boa qualidade de vida quando se realiza o controle adequado.

  1. Beba bastante água: o ideal é ingerir dois litros por dia para manter o organismo hidratado;
  2. Realize sempre higiene nasal. Caso note muita secura, faça limpeza com solução fisiológica ao menos duas vezes ao dia;
  3. Troque a roupa de cama a cada semana;

Não esqueça de sempre buscar auxílio médico no caso de aparecimento de qualquer sintoma.

Guia da Vida Saudável sem Estresse

Dr. Alexandre Kawassaki

Dr. Alexandre Kawassaki

Dr. Alexandre Kawassaki é pneumologista do H9J.

Comentarios

Guia Prático da Saúde da Mulher

Baixe Grátis!
BAIXE O E-BOOK GRÁTIS